segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Pão de Groselha


Jack-o-laternImage via Wikipedia 

Hoje é 1 de Novembro, Dia de Todos os Santos, dia de romaria aos cemitérios para recordar quem já partiu deste mundo.
Ontem, dia 31 de Outubro, foi dia de Halloween, Dia das Bruxas.
Estes dois dias encontram-se relacionados um com o outro, e já vão perceber porquê.

O Dia das Bruxas (Halloween é o nome original na língua inglesa) é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base e origem as celebrações dos antigos povos.
A origem do Halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às atuais abóboras ou da famosa frase "trick or treat" (docinho ou travessura), exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Originalmente, o Halloween não tinha relação com bruxas. Era um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro e marcava o fim do verão (samhain significa literalmente "fim do verão").

A celebração do Halloween tem duas origens que no percurso da História se foram misturando:

Origem Pagã
A origem pagã tem a ver com a celebração celta chamada Samhain, que tinha como objectivo o culto dos mortos. A invasão das Ilhas Britânicas pelos Romanos (46 A.C.) acabou misturando a cultura latina com a celta, sendo que esta última acabou diminuindo com o tempo. Nos fins do século II, com a evangelização desses territórios, a religião dos Celtas, chamada druidismo, já tinha desaparecido na maioria das comunidades. Pouco sabemos sobre a religião dos druidas, pois não se escreveu nada sobre ela: tudo era transmitido oralmente de geração para geração. Sabe-se que as festividades do Samhain eram celebradas muito possivelmente entre os dias 5 e 7 de Novembro (a meio caminho entre o equinócio de verão e o solstício de inverno). Eram precedidas por uma série de festejos que duravam uma semana. A "festa dos mortos" era uma das suas datas mais importantes, pois celebrava o que para nós seriam "o céu e a terra" (conceitos que só chegaram com o cristianismo). Para os celtas, o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não haveria fome nem dor. A festa era celebrava com ritos presididos pelos sacerdotes druidas, que actuavam como "médiuns" entre as pessoas e os seus antepassados. Dizia-se também que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares rumo ao outro mundo.

Origem Católica
Desde o século IV, a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar "Todos os Mártires". Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV († 615) transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (Panteão) num templo cristão e o dedicou a "Todos os Santos", a todos os que nos precederam na fé. A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de Maio, mas o Papa Gregório III(† 741) mudou a data para 1 de Novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de Outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas "All Hallowed Eve" e "All Hallow Een" até chegar à palavra atual "Halloween".

Fonte: Adaptado da Wikipedia

E assim ficámos a conhecer qual a relação entre o dia de Halloween (31 Out) e o Dia de Todos os Santos (1 Nov).

E para celebrar estes dias, fiz um pão especial: um pão cor-de-rosa à base de Groselha.
A groselha é o fruto da groselheira. A groselha é usada para a fabricação de xaropes, algo apreciado entre portugueses e brasileiros como bebida quando misturado a água (natural ou gasosa), ou ainda leite. Também faz parte da culinária de alguns países europeus, principalmente os do norte da Europa.
Como fiz com uma base de farinha preparada para pão brioche, o sabor da groselha não se fez acentuar, mas a cor ficou presente.


Ingredientes:
200ml de água morna
35ml de xarope de groselha
500g de farinha Brioche da Nacional

Confecção:
Colocar os ingredientes na cuba da máquina de fazer pão, pela ordem indicada.
Programar para utilizar o programa Pão Básico.


Findo o tempo, retirar o pão e deixar secar sobre uma rede para não ficar com humidade no seu interior.


Bom apetite!

Nota:
Como é um pão doce, é excelente para a ser apresentado ao pequeno almoço ou ao lanche, dando uma cor diferente e original à sua mesa.

3 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
Pin It button on image hover